quarta-feira, março 23, 2016

O último significado




No dia 27 de Outubro de 2015 o meu avô Álvaro faleceu. Você pode até achar que estou atrasada em fazer uma homenagem só agora. Mas acredito que esse tipo de coisa não tem hora e nem data marcada. A gente escreve quando sente que tem que escrever e sente quando tem que sentir.

Eu lembro exatamente onde eu estava quando a minha mãe me ligou. Eu tinha acabado de sair de uma das minhas aulas (que agora não lembro qual era) e estava caminhando para outro prédio da faculdade, para chegar em outra aula (que já não lembro mais qual era). Na verdade, eu não lembro de nada que aconteceu naquele dia, só lembro de como me senti naqueles 5 segundos que a minha mãe me deu a notícia. Desliguei o celular e lembro que logo em seguida olhei pro céu e senti que o meu avô não estava mais aqui.

Ele foi um homem muito educado que sempre fez amizades muito facilmente. Foi muito piadista a vida inteira. A vida pode não ser fácil mas ele fez parecer que era. Tudo era motivo de alegria, risos e piada (da mesma piada, porque o repertório nunca mudou). Era marinheiro, foi o "lobo do mar". Trabalhador, sempre cuidou muito bem de sua família. Você pode não ter ouvido falar dele, mas ele mudou a minha vida e de muitas outras pessoas. Ele me deu a mãe que eu tenho e só por isso sou eternamente grata a ele e a minha avó.

Acredito que uma perda assim nunca será superada, você pode até aprender a conviver com a perda, mas nunca superar. Porque quando um ente querido morre, uma parte de nós também morre. Esse tipo de experiência nos mostra que somos meros humanos, nada mais e nada menos que isso.

Eu nunca tinha perdido um familiar próximo na minha vida adulta. Talvez você saiba do que eu estou falando ou não. Mas perder um ente querido é estranho e é ruim. Só isso que posso lhe dizer. Quando ele estava internado eu ligava para o celular da minha mãe para vê-lo e ele bem debilitado na cama me fez pensar bastante.

Na cama daquele hospital nada que o mundo pudesse oferecer importava. Descobri que a frase "dessa vida nada se leva" é mentirosa. Leva sim, leva o bem que você fez e a família que você construiu. Então pode-se dizer que ele foi um homem bem-sucedido. Porque ali naquela cama de hospital ele levou consigo vários corações que batem por ele e por causa dele.

Para o nosso eterno papai noel, vô.

Rachel

Nenhum comentário:

Postar um comentário